Sistema de franquias: a oportunidade de ter um negócio estruturado

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Abrir um negócio é desgastante e complexo tanto para investidores que estão no mercado há bastante tempo, quanto para novos empreendedores. Por isso, pensar no sistema de franquias como uma oportunidade pode ser o caminho ideal, afinal, é um mecanismo quase independente.

Ao optar por entrar no mercado de franchising, o investidor só precisa se preocupar em ter uma marca que passe credibilidade e confiança ao consumidor, por exemplo. Ele não terá demandas como desenvolver um plano de negócio que gere retorno e lucro como todo um novo negócio exige.

Em um sistema de franquias esses aspectos não são mais empecilhos pelo fato de entrar em um negócio que já tem seu plano em andamento e ainda receber todo o suporte de marketing, consultoria, compras, vendas e gestão. 

O que é um sistema de franquias? 

Mas antes de seguirmos, vamos entender o que é um sistema de franquias e quais os motivos que o levam a ser um negócio tão vantajoso.

Trata-se de um modelo de negócio que consiste na concessão do direito de uso fornecida pelo proprietário de uma marca que é chamado de franqueador para um investidor, que neste caso é chamado de franqueado. Desta forma, ele pode replicar em diferentes locais um formato reconhecido e bem-sucedido no mercado.

O sistema de franquias é um negócio que pode ser uma marca, um serviço, um produto ou até mesmo um conceito. Todos têm como principal característica a padronização de processos e de produtos.

O processo entre franqueador e franqueado envolve entrevistas e, assim como todo negócio, lucro. Para o franqueador, existe uma parcela do faturamento de todas as unidades que ele recebe, conhecida como royalties. Em troca, ele oferece ao franqueado suporte e orientação contínuos para que ele comece o seu negócio com respaldo, facilitando o crescimento da rede como um todo. No final, todos ganham. 

Lei respalda todo o sistema de franquias 

Há uma lei que regula o franchising: a Lei de Franquias, promulgada em 1994. Dentre as exigências está a de que o franqueador seja transparente com os possíveis franqueados, impondo também a obrigação de suporte e transferência do conhecimento.

A lei também exige que os investidores sejam informados sobre obrigações, riscos, fornecimento de suporte e outras questões que envolvem o funcionamento do negócio. 

Mercado de franquias tem números expressivos 

O mercado de franquias tem se mantido em alta mesmo diante da pandemia de Covid-19, que impactou diversos setores econômicos.

Segundo a Pesquisa Trimestral de Desempenho, realizada pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), o setor apresentou recuperação no segundo trimestre deste ano, mantendo sua trajetória rumo a níveis pré-pandemia. O faturamento de abril a junho deste ano chegou a R$ 41,140 bilhões com variação de 48,8% se comparado com o mesmo período de 2020, quando os valores foram de R$ 27,720 bilhões. 

Modelo de negócio estruturado 

De acordo com o presidente da ABF, André Friedheim, em um período de 10 anos, cerca de 75% dos negócios independentes fecham, mas em franquias, esse número cai para 10%. Mas por quê?

Porque ao optar por uma franquia, o investidor já tem um modelo de negócio estruturado e de sucesso. No caso de uma franquia de farmácia, o processo burocrático que é bastante complexo já vem pronto, afinal, o plano de negócio já existe e está em pleno funcionamento.

Além do plano, toda a estrutura de uma farmácia é disponibilizada pela franqueadora que ainda entrega serviços de marketing, consultoria, suporte de compras, vendas e gestão, diminuindo significantemente os riscos de prejuízo financeiro. 

Por que investir em uma franquia da Santa Marta?

Antes de mais nada, você precisa saber que a Santa Marta Franquia tem tradição no mercado e surgiu de um negócio de família. 

A franquia oferece um plano de negócio estruturado com suporte em todas as etapas da sua drogaria como:

Implantação: com orientações ao franqueado nos diversos processos até a inauguração da loja – desde análise de escolha do ponto até o evento de inauguração.

Arquitetura: facilita para o franqueado o atendimento das demandas relacionadas com arquitetura, layouts e atividades afins para lojas da franquia em reforma ou em construção.

Comercial: ajuda a nova unidade a alcançar os resultados da franquia, com acompanhamento dos diversos pontos envolvidos na gestão.

Marketing: responsável por orientações gerais sobre desenvolvimento de campanhas e gestão dos canais de comunicação da rede e eventos.

É importante também que a franqueadora seja bem estruturada e possua um número expressivo de unidades abertas, pois demonstra experiência e qualidade do negócio.Gostou do artigo? Acesse este link e saiba mais sobre os benefícios de ser um franqueado da Santa Marta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nosso site e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo nosso site, você autoriza a Santa Marta Franquia a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.